Como planear ir viver para fora do país em Alta Performance

fora-viver-emigrar-derosemethod-profcirilo.jpg

Sonhas em morar fora do país mas não tens ainda idéia de como fazer isso? Ou mesmo, já iniciaste o processo e estás naquela fase de: toda a ajuda é bem vinda? O artigo de hoje é exatamente para facilitar quem quer viver fora do país e manter uma Vida de Alta Performance.

Diferente do que muitos pensam, viver no estrangeiro ou simplesmente fora da sua cidade, exige uma mudança não apenas física mas também emocional e mental. Tenho bons exemplos de sucesso e insucesso na família e no meu círculo de amigos. Aa minha experiência pessoal ficou-se apenas por ir viver da cidade do Porto para a capital, Lisboa (onde fiquei dez anos para depois retornar).

Estabeleceres-te num país requer um verbo que todos nós (eu pelo menos) odiamos: esperar. Ao chegares ao teu destino, é preciso esperares por trabalho, esperar para te adaptares, esperar o surgimento de novas amizades, esperar a ansiedade diminuir, esperar pelos momentos de extrema felicidade…

Todos os recomeços exigem paciência, e que poderão ser um processo que se torna especialmente difícil quando a saudade ou a solidão te decidem visitar. A melhor forma de driblares essas situações será através da obtenção de conhecimento: conhecimento sobre as vantagens e desvantagens de saires da tua cidade natal.


Vantagens e desvantagens

Saber as vantagens e as desvantagens ajuda-te a colocar tudo numa balança para saber o que é realmente melhor melhor para ti. Sabendo as desvantagens, podes fazer escolhas mais conscientes.

Tenho ainda de te recordar, que apesar de estar a procurar ser bastante abrangente na informação que vou partilhar contigo, as vantagens e desvantagens são de diferente intensidade para cada pessoa, ok?

Vantagens

  • Vais aprender a desapegar-te. Passarás a ser mais prática e a ter percepção do que é essencial.

  • Se não sabes cozinhar, provavelmente vais aprender.

  • Talvez ganhes mais dinheiro do que ganhavas antes, ao trabalhar na tua área na tua cidade natal.

  • Talvez fiques viciado em viagens (e isso até certo ponto é muito bom).

  • Vais mudar completamente a tua forma de ver o mundo.

  • É uma ótima experiência para desenvolveres autoconhecimento.

  • Nunca te irás arrepender!

Desvantagens

  • Resolver qualquer questão de documentos vai-te dar muito trabalho.

  • Alguns dos hábitos da tua nova cidade poderão ser difíceis de acostumar.

  • Os cuidados com a saúde podem ser muito mais caros ao que estavas habituado. Podem mesmo ser de inferior qualidade.

  • Por vezes irás ter de lidar com o preconceito, mesmo que já vivas totalmente integrado na cultura local.

O que vai mudar para sempre? Acompanha agora as 8 coisas que vão mudar definitivamente.

fora-viver-emigrar-derosemethod-profcirilo3.jpg

8 coisas que mudam para sempre

Viver fora e começar do zero num país desconhecido será uma das experiências mais desafiadoras. A vida que conheces vai mudar – e não estou só a falar do endereço e as marcas de detergente.

  1. Quando te mudares, farás parte de um clube especial: vais passar a ter duas casas, duas línguas e dois tipos de moeda na tua carteira.
  2. Apesar de ser possível encomendares tudo e mais um pouco pela internet, receber um pacote de mimos (uma caixa com guloseimas ou lembranças da tua família e amigos) vai ser melhor que receber qualquer outro tipo de encomendas.
  3. Vais aprender rapidamente quem são as pessoas que fazem o possível e o impossível para manter contato e quem são as pessoas que se desligam de ti. Acaba por ser uma versão sentimental de selecionar as roupas que queres manter e aquelas que já não te servem mais.
  4. Por teres que pagar as contas, organizar a tua própria desarrumação e de recuperares de uma gripe desagradável sozinho, só porque vais passar um tempo noutro país não quer dizer que os teus problemas vão desaparecer e que vai parecer tudo fácil. A fase de lua-de-mel vai passar – sempre e independentemente de onde estiveres. Os teus amigos podem ter inveja da tua vida fora, mas eles não percebem que o quintal do vizinho parece sempre mais verde.
  5. A vida continua: coisas emocionantes vão acontecer sem ti – os teus amigos vão casar, bebés irão nascer e festas imperdíveis irão acontecer. Provavelmente irás perder muitos destes eventos e só poderás vê-los através das redes sociais. É difícil de aceitar, mas – e pode ou não haver um lado positivo – os teus amigos vão sentir exatamente o mesmo quando virem as experiências fantásticas que estarás a viver.
  6. Podes querer mudar para fugir do clima ou por conta das ruas caóticas e movimentadas da tua cidade. No entanto, mostrares a uma pessoa de outro país como é a tua terra natal, as fotografias e as descrições irão deixar a pessoa fascinada e interessada em conhecer. Ver essas novas perspectivas fará com que valorizes a tua cidade ou país e com isso deixas de reclamar tanto. A ausência faz com que o coração se torne mais caloroso e, possivelmente, mais patriota .
  7. Pouco a pouco vais-te tornar um morador. Começa a aprender a língua local, mas percebe que isso vai muito além de compreenderes as conversas. No fim das contas, saberás quando ir ao mercado para fazer as melhores compras, encontrarás um café onde as pessoas saberão o que tu queres antes mesmo de fazer o pedido e discutirás as próximas eleições com um conhecido no metro ou autocarro. Apesar de nunca te tornares tão local quanto alguém que nasceu nessa nova cidade, fazeres parte de uma nova cultura será uma experiência fantástica.
  8. Vai ser difícil responderes onde é a tua casa: às vezes é realmente onde o coração está (ou onde está aquela pessoa por quem estás caído de amores). Outras vezes será onde passaste a tua infância ou onde viveste durante um momento especial da tua vida.

Saíres da sua pátria é literalmente recomeçar a vida do zero. E sem querer desanimar, não são todos que estão preparados para isso porque recomeçar – o que quer que seja – implica possuir um desapego e uma entrega insana ao desconhecido.

Para facilitar a tua escolha, partilho contigo um guia passo a passo para ires morar fora.

fora-viver-emigrar-derosemethod-profcirilo2.jpg

Passo a passo para ires morar fora

O Porquê

É importante decidires o que queres fazer fora. Pode ser uma decisão para estudares línguas, fazer um semestre da universidade, tirar uma pós graduação ou um mestrado, trabalhar ou apenas para viajares.

Qualquer que seja a tua decisão não há nenhum problema nisso, vencer a barreira cultural, as pressões do trabalho, dos amigos, da família e investires no teu sonho vai-te enriquecer muito mais do que qualquer MBA que te disseram ser importante.

Reunir informações

Deves começar a buscar as primeiras informações sobre o teu objetivo. O importante é teres o máximo de respostas para tomares a melhor decisão.

Quanto vais gastar para viver

O que normalmente se faz é abrir uma tabela no Excel e simular todos os possíveis gastos. Lembre-te de somar tanto os gastos pontuais como recorrentes.

Nos gastos pontuais: passagem, documentos e preparativos – malas de viagem, remédios, o que for.

Nos gastos recorrentes, tens de levar em conta a forma como imaginas viver: alimentação, hospedagem, lazer, transporte. Para conseguires ter uma noção desses gastos, utiliza sites como o Expatistan e o Numbeo. Coloca 20% a mais de margem de segurança.

Já tendo uma ideia dos gastos recorrentes no país em que vais morar, dá para saber quanto precisas para ficar três meses e criar o que se chama de poupança emergencial.

O modo que deves calcular esse valor será através da soma de todos os gastos mensais para depois guardares pelo menos 3 meses garantidos numa poupança. Se tudo der errado, conseguirás sustentar-te por 3 meses tranquilamente ou usares esse dinheiro para alguma emergência.

Se tudo der certo, ele fica a render no banco. Criar essa poupança emergencial é uma das coisas que mais te dará segurança na hora de ires morar fora.

Preparar todos os documentos

Uma vez que já tenhas uma idéia de quanto te vai custar a viagem, começa a parte prática da tua preparação. Está na hora de pensares em conseguir o dinheiro, preparar a papelada, conseguir vistos (se necessário), fazer os contatos necessários no país de destino, entre outras burocracias para morar fora.

Onde morar

Primeiramente, precisas saber se vais ficar em casa de estudantes, hostel, hotel, fazer couchsurfing, alugar por temporada ou direto com uma agência imobiliária. Para muitos deles podes criar uma média de valores só cotando online, sem te comprometeres com ninguém.

Se queres ficar bastante tempo, uma boa dica é alugar um apartamento por um mês ou dois no Airbnb e, quando chegares na cidade, vais visitar outros para alugar da forma tradicional. Assim, consegues escolher direitinho o teu próximo lar.

Fazer as malas

Dependendo do tempo que vai spassar fora, pode ser necessário separares algumas roupas para diferentes estações do ano e alguns itens pessoais que gostaria de ter enquanto moras fora. Fotografias, algum objeto de valor sentimental, algum livro, etc. Mas não exageres pois tens direito a levar poucos quilos na tua mala, portanto, separa somente o necessário!

Além disso, seria bom entenderes um pouco da história, política e economia do país antes de embarcar. Não é para dominar o assunto, mas sim ter um mínimo de informações para entenderes o básico da vida por lá. Saber como é o sistema político, se é regime parlamentar ou republicano, saber quem é o presidente ou o primeiro ministro, saber como está o país economicamente e um pouco sobre a história pode ser bastante útil.

O melhor é prevenir

Seguro de viagem, de saúde internacional, remédios e poupança emergencial (já falei da poupança acima) são quatro coisas importantes poderes garantir. Boa parte dos países só vendem remédios com receita, os médicos são caros e uma emergência pode comprometer a tua mudança. São quatro coisas que podem não ser realmente necessárias, mas é sempre melhor prevenir.

Dicas úteis

• CUIDADOS PESSOAIS: Principalmente para as meninas que querem morar fora, mas serve para os homens também, uma boa dica é separar um kit básico de unhas, já que manicure é algo raro (e caro) em alguns países. O mesmo vale para a depilação.

• DOCUMENTOS ORGANIZADOS: Leva uma pasta para separares os teus documentos. Serão tantos e de tantos formatos que a melhor solução é uma daquelas pastas com plástico, em que colocas dentro as folhas separadas. Faz com que fique organizado e fácil de achares qualquer documento que poças necessitar de imediato.

• O TEU PASSAPORTE É A TUA VIDA: Esta é uma dica de sobrevivência! Guarda sempre o teu passaporte num lugar seguro da tua casa e carrega contigo somente uma cópia. Tira uma fotografia e envio-a para o teu email. Assim, caso aconteça algum incidente indesejado na rua, terás o teu documento mais importante intacto.

• ANOTA SEMPRE OS TELEFONES ÚTEIS: Faz duas listas com telefones úteis. Deixa uma junto de teu passaporte e a outra carregue sempre:

  • Consulado do teu mais próximo de ti;
  • Telefone da polícia, ambulância e bombeiros do novo país;
  • Telefone dos teus pais, caso fiques com saudades! 

E agora?

Se gostaste, partilha o artigo, visita o meu instagram (profcirilo) e vem visitar-me à minha escola para fazermos uma Aula Personal ou uma sessão de life coaching para Viveres Em Alta Performance com Qualidade de Vida.

Toca a aplicar estes conceitos para fazer acontecer!

A alta performance é como uma semente. Quando a cultivas, ela desperta.

Algumas palmeiras crescem em três anos, outras em dez. Aquelas que não são nutridas, nunca crescem!

Um forte abraço,

PROF. CIRILO DEROSE LIFE COACH

PROF. CIRILO
DEROSE LIFE COACH

Ah, e não te esqueças

Agora é a melhor hora para começares a Viver Em Alta Performance. Aplica o que acabaste de ler e transforma a tua vida positivamente. É altura de passares para o próximo nível. Acredita em ti, não aceites desculpas e faz acontecer.

Complementa a leitura com estas recomendações:

- Os 5 melhores exercícios para combater o stress mental

- Como construires confiança

Fontes de referência

-http://www.ef.com.br/blog/language/10-coisas-que-mudam-pra-sempre-depois-de-morar-fora/ -http://www.uziporai.com.br/2016/01/morar-no-exterior-recomecar-a-vida-em-outro-pais-e-uma-arte.html -http://www.euandopelomundo.com/blog/morar-fora-do-pais-passo-a-passo/ -http://tempodemigrar.com/vantagens-e-desvantagens-de-viver-em-outro-pais/http://tempodemigrar.com/vantagens-e-desvantagens-de-viver-em-outro-pais/