As vantagens da alimentação vegetariana para uma vida em Alta Performance

vegetarianismo-alimentacao-altaperformance-performance-Escola-Eduardo-Cirilo-Método-DeRose-Porto-portugal-viveremaltaperformance.jpg

"Haverá um tempo em que os seres humanos se contentarão com uma alimentação vegetariana e julgarão a matança de um animal inocente da mesma forma como hoje se julga o assassino de um homem."

Leonardo da Vinci

Nunca se ouviu falar tanto de dieta vegetariana como agora. Se até há alguns anos atrás ser vegetariano era sinónimo de ser “diferente” e significava eu ter que fazer malabarismos para comer fora de casa, atualmente o termo popularizou-se e a cada dia aumenta o número de pessoas que decidem eliminar o consumo de carne da dieta.

O que para muitas pessoas são razões culturais, religiosas, filosóficas ou mesmo de saúde, para outras é uma questão de moda. E para outras ainda, sobretudo os adolescentes, um excelente mote de discussão e atrito com os pais, numa área que lhes é, ou aparenta ser, tão sensível.

A dieta ovo-lacto-vegetariana, muito em voga sobretudo entre os defensores dos direitos dos animais, que inclui todos os produtos de origem vegetal, produtos lácteos e ovos é uma dieta bem saudável, saborosa, e a qual eu recomendo para Viver em Alta Performance com o DeROSE Method. Pessoalmente recomendo unicamente o uso de ovos e laticínios de origem biológica.

Para entenderes melhor sobre as vantagens de ser vegetariano, acompanha-me na leitura sobre:

  • os tipos de vegetarianismo
  • vantagens de ser vegetariano
  • 21 razões para ser vegetariano
  • 3 mitos sobre o vegetarianismo
  • 5 dicas para evitar erros comuns

 O livro do Prof. DeRose "Método de Boa Alimentação" é um best-seller obrigatório para aprofundar a alimentação sem carnes.

O livro do Prof. DeRose "Método de Boa Alimentação" é um best-seller obrigatório para aprofundar a alimentação sem carnes.

Tipos de Vegetarianismo

Seja qual for o motivo, o vegetarianismo não é igual para toda as as pessoas e existem 4 tipos de opções: Ovo-lacto-vegetarianos; Lacto-vegetarianos; Vegetarianos e Vegans.

Ovo-lacto-vegetarianos

Posso-te dizer que este é o tipo de vegetarianismo clássico e o mais comum nos dias atuais. Como o nome já sugere, os ovo-lacto-vegetarianos não consomem nenhum tipo de carne (seja frango, peixes ou frutos do mar) mas ainda sim incluem ovos e laticínios na dieta.

Como o leite, queijo, iogurte e ovo estão liberados, a dieta ovo-lacto-vegetariana é considerada a menos restritiva (e também a mais fácil de ser seguida) de todas as dietas vegetarianas, pois inclui boas fontes de vitamina B12 e de cálcio, excluindo assim a necessidade de suplementação desses nutrientes.

Lacto-vegetarianos

Assim como os ovo-lacto-vegetarianos, os lacto vegetarianos não consomem nenhum tipo de carne, mas ao contrário deles, os lacto-vegetarianos também excluem os ovos da dieta, consumindo somente laticínios e demais produtos de origem vegetal.

Vegetarianos

Os vegetarianos (também conhecidos como vegetarianos estritos) não consomem carne, ovos e nenhum tipo de laticínio.

- Vegans

Excluem todos os alimentos de origem animal do seu quotidiano (alimentação, vestuário …) e fazem disso a sua filosofia. Além de não consumirem qualquer alimento de origem animal (incluindo o mel), os vegans também evitam utilizar produtos cuja fabricação inclua produtos originários de animais, como é o caso do couro e da lã. Os vegans também não consomem produtos que tenham sido testados em animais, como é o caso de alguns cosméticos.

E quais são as vantagens de ser vegetariano?


Vantagens de Ser Vegetariano

"Nada beneficiará tanto a saúde humana e aumentará as chances de sobrevivência da vida na Terra quanto a evolução para uma dieta vegetariana. A ordem de vida vegetariana, por seus efeitos físicos, influencá o temperamento dos homens de uma tal maneira que melhorará em muito o destino da Humanidade."

Albert Einstein

A alimentação sem carnes carateriza-se por ter baixos níveis calóricos totais o que, quando o objetivo é perder peso, pode ser um ótimo aliado.

Parte desta redução calórica advém do baixo teor em gordura que, sobretudo a gordura saturada, pode auxiliar na redução dos níveis sanguíneos de colesterol e, consequentemente, ser um aliado na prevenção de doenças cardiovasculares.

Devido à quantidade de produtos hortofrutícolas consumida, a ingestão de fibras alimentares é elevada. Estas são fortes protetoras da parede celular do nosso intestino e favorecem o trânsito intestinal regular.

A ingestão elevada de fibra nas refeições providencia também uma maior sensação de saciedade levando-te a ingerir menores quantidades totais de alimentos nas refeições.

Os benefícios deste tipo de alimentação vão desde o melhor controlo do peso, diminuição do risco de doenças cardiovasculares, regulação da pressão arterial, diminuição dos níveis de mau colesterol, melhoria no sono e até mesmo aumento da longevidade .

E para quem está preocupado com o meio ambiente, interromper o consumo de carne pode ter um grande impacto na natureza: cerca de 70% dos grãos produzidos são utilizados para alimentar os animais que posteriormente servirão para consumo humano.

Vou-te falar agora sobre as muitas razões que tens para ser vegetariano.


Vinte e Uma razões para ser vegetariano

"Eu não tenho dúvidas de que é parte do destino da raça humana, na sua evolução gradual, parar de comer animais."

Henry David Thoreau

Já vimos os tipos de opções, as vantagens que obténs por deixar de comer carnes, e para complementar, mostro-te as 21 razões (das 30 que o Centro de Vegetarianoenumerou) que para mim são cruciais para optares por uma dieta mais inteligente.

Porque consumir carne e lacticínios engorda

A população em geral sofre cada vez mais de excesso de peso e a dieta Atkins apenas veio piorar este cenário, pois só resulta a curto prazo. Só 2% de vegetarianos puros sofrem de obesidade, o que representa cerca de um nono do número de obesos omnívoros norte‑americanos.

Porque não devemos mentir às crianças acerca dos alimentos que ingerem

As crianças ficariam aterrorizadas se soubessem da violência e crueldade com que galinhas, porcos e outros animais são transformados em nuggets e outras “comidas”.

Porque em cada embalagem de frango há excrementos

Um estudo do Departamento Norte‑americano de Agricultura revelou níveis assinaláveis da bactéria E. Coli em 98% das carcaças de frangos para assar, o que indica contaminação fecal.

Porque a carne é suja e sangrenta

Há todos os anos mais de cinco milhões de casos de doenças transmitidas pela carne, milhares das quais fatais. A carne dos animais acumula gordura e químicos perigosos, entre os quais dioxinas, antibióticos, pesticidas, herbicidas e mesmo as formas mais tóxicas de arsénico.

Porque não é justo

Matar outros animais é um acto de exploração e violência e só o fazemos porque temos esse poder.

Porque nenhuma criatura quer ver a sua família morta

As vacas amam os seus vitelos, as porcas amam os seus leitões e as galinhas amam os seus pintainhos. Os animais amam as suas famílias e sofrem com a sua perda.

Porque não comeríamos o nosso cão

A maioria das pessoas mostra-se horrorizada perante culturas onde se comem cães ou baleias, mas estes animais sofrem tanto quanto os animais consumidos usualmente no Ocidente. A diferença é apenas cultural e não moral.

Porque a “doença das vacas loucas” está por toda a parte

Qualquer animal com cérebro pode contrair uma forma da Creutzfeldt‑Jakob e, apesar disso, milhões de porcos e galinhas ainda estão a ser alimentados com os restos mortais de animais doentes, em clara violação das recomendações da Organização Mundial de Saúde e das leis europeias e japonesas.

Porque é violência que pode ser travada

Podemos sentir‑nos impotentes para travar a guerra ou outras formas de violência, mas podemos optar por não apoiar matadouros rejeitando a carne.

Porque alguém que bate num animal é mesquinho, mas alguém que o come é‑o ainda mais

Ao comermos carne estamos a pagar a outros para cometerem actos tão cruéis que seriam punidos na maioria se cometidos contra cães ou gatos.

Porque nenhum animal merece morrer pelos caprichos do paladar

O desejo momentâneo pelo sabor da carne por parte de um ser humano não é tão importante quanto o desejo de outro animal de não ser torturado nem violentamente morto.

Porque os cereais usados para alimentar animais poderiam ser usados para alimentar pessoas a morrer de fome

80% do terreno arável é usado para criar galinhas, porcos e outros animais; 70% dos cereais são usados na alimentação destes. Se estas quantidades gigantescas de cereais, soja e milho que alimentam os animais de criação intensiva estivessem disponíveis, haveria imensa comida para as pessoas que morrem de fome em todo o mundo.

Porque mais de metade de toda a água usada nos E.U.A. se destina à criação de animais para consumo

Uma dieta totalmente vegetariana carece de 1,2 m3 de água por dia, enquanto que uma dieta que inclua carne exige mais de 1,6 m3 de água diariamente.

Porque ninguém pode dizer que é ambientalista se comer carne

Ao canalizar as colheitas e a água para os animais em vez de usar estes recursos directamente é uma das formas mais eficazes de desperdiçar água e de poluir. A indústria de criação intensiva de animais requer mais água do que todos os outros utilizadores juntos e gera 130 vezes mais resíduos do que a totalidade da população norte-americana. Esta indústria também é responsável por mais de um terço da emissão de gases de efeito de estufa provocados pelos combustíveis fósseis nos E.U.A. e já destruiu ¾ do solo cultivável, uma catástrofe ambiental permanente que jamais poderá ser corrigida.

Porque os animais são indefesos

O vencedor do prémio Nobel, Isaac Bashevis Singer, considerou o especismo como a «mais extrema» forma de racismo pois os animais não se podem defender e são vítimas fáceis.

Porque quando os animais sentem dor também gritam

Se os queimarmos, eles sentem; se os sujeitarmos a choque eléctricos, eles sentem. Os animais sentem dor da mesma forma e com a mesma intensidade que os humanos.

Porque os animais não querem morrer

Os animais valorizam a sua vida tal como os humanos.

Porque os animais sentem medo

Os seus pêlos ficam hirtos, urinam e tremem tal como nós fazemos quando nos assustam de morte perante a iminência de sermos feridos ou assassinados.

Porque todos queremos ser livres

Reconhecemos o facto de levar o cão ao parque e de deixar o pássaro passar tempo fora da gaiola. Isto também se aplica aos animais de criação intensiva: eles desejam liberdade tal como os humanos.

Porque comer peixe não nos torna vegetarianos

Os peixes têm a mesma capacidade de sentir dor que as aves e os mamíferos e são indivíduos interessantes. Segundo uma crítica publicada na Fish and Fisheries, os peixes são «muito inteligentes»: possuem memória de longa duração e aprendem uns com os outros, usam ferramentas, integram hierarquias sociais e «podem mesmo ser favoravelmente comparados com primatas não‑humanos». A bióloga marinha Sylvia Earle explica que os peixes são seres muito bondosos e curiosos, sensíveis, com personalidade própria e que sofrem quando feridos.

Porque poder não significa rectidão

No nosso desenvolvimento moral enquanto espécie, chegámos a uma fase em que devemos reconhecer que outras espécies merecem consideração, tal como reconhecemos que a escravatura estava errada, que as mulheres mereciam votar e que as crianças não deveriam ser usadas como transporte de cargas.

Se quiseres ler as outras 9 razões vai à página do Centro Vegetariano: Trinta razões para ser vegetariano


Mitos sobre o vegetarianismo

A soja é obrigatória em regimes vegetarianos?

Com um teor de proteínas superior ao das outras leguminosas como o grão-de-bico ou o feijão e mesmo ao da carne, não contendo colesterol e apresentando vitaminas e minerais em quantidades superiores aos dos outros alimentos deste grupo, é um alimento aconselhável para substituir a carne ou o pescado.

No entanto, é bom referir que não há só vantagens no seu consumo. Na realidade, a maior parte da soja que é comercializada, além de ser maioritariamente obtida a partir de grãos geneticamente modificados, sofre complexos processos industriais que obrigam a que o produto final seja suplementado para suprir as perdas industriais.

Ora o que se sabe é que a adição destas substâncias, como cálcio ou vitaminas por exemplo, não tem a mesma biodisponibilidade, ou seja, o mesmo aproveitamento orgânico, que o produto original. E no que respeita aos organismos geneticamente modificados (transgénicos), há que ter muita cautela no seu consumo pois, sendo recentes, não estão ainda devidamente estudados os seus efeitos na saúde humana.

Para já, tudo o que se sabe é que a única vantagem que apresentam é para os produtores e não para os consumidores...

A dieta vegetariana emagrece?

A dieta ovo-lacto-vegetariana contém todos os alimentos da dieta omnívora com exceção dos produtos cárneos e do pescado. Ora, a maioria das pessoas diz que engorda porque come muito pão, fritos, bolos, etc., e não porque come muita carne ou muito peixe. Então porque emagreceria apenas por excluir o seu consumo?

Na realidade, o que faz engordar é o consumo excessivo de calorias, venham elas de onde vierem: proteínas, hidratos de carbono ou gorduras que são os únicos nutrientes que fornecem energia.

Se comeres almôndegas de lentilhas fritas, acompanhadas de arroz cujo refogado foi feito com muita gordura e um monte de salada "regada" com muito azeite, bem podes esperar por um milagre se a ideia era perder peso!

Os restaurantes vegetarianos são os melhores

Quando tens de comer fora de casa, foge dos restaurantes vegetarianos como o diabo da cruz. É uma afirmação um pouco exagerada sim, mas onde quero chegar é que se optares por não comeres carnes, é porque és uma pessoa mais evoluída e consciente de que o prazer é fundamental para viveres feliz e em Alta Performance.

Assim, os melhores restaurantes, quase sempre são bons tanto para refeições com carnes como sem carnes. O sabor é fundamental e o uso de muitas especiarias obrigatório. Sou fã da comida indiana… é o maior exemplo cultural da sofisticação da comida vegetariana. Quantos restaurantes vegetarianos com estrelas Michellin conheces?

Resumindo, opta sempre por bons restaurantes e aprende a comer não por necessidade mas sim pelo prazer de saborear.

Por fim, 5 dicas para evitares alguns dos erros que já cometi nestes mais de 19 anos de vegetarianismo. Aqui vão elas:

459035463

5 Dicas para evitar erros comuns

1 - Muitos vegetarianos caem no erro clássico de exagerar nos alimentos processados. O fato de um alimento não conter produtos de origem animal não o transforma automaticamente num alimento saudável. Rissóis, croquetes, bolos, bolachas, pizzas congeladas e batatas fritas são todos alimentos “permitidos” para vegetarianos, mas na verdade são ricos em gordura trans e pobres em nutrientes importantes;

2 - O excesso de hidratos de carbono refinados é um problema para os vegetarianos, que acabam por refugiar-se nestes alimentos na tentativa de compensar a ausência da proteína animal. Para evitar que isso ocorra contigo, é fundamental que a tua dieta inclua boas fontes de proteína vegetal (feijão, grão de bico, lentilha, ervilha, nozes, sementes) e também uma variedade de cereais integrais, como o arroz, aveia e a quinoa (que é na realidade um pseudo cereal). Ou seja, troca o arroz e o pão branco pela versão integral, e também lembra-te de consumir proteína em todas as refeições, para evitar a fome precoce e a vontade de comer doces (ou outros alimentos mais calóricos);

3 - Como estarás sem fontes de proteína animal, é importante incluires proteínas vegetais de qualidade em todas as tuas refeições. Feijão, lentilha, grão de bico, nozes, chia, quinoa e sementes de girassol são todas ótimas opções com uma boa quantidade de proteínas para tu incluires no teu cardápio diário;

4 - A palavra mais importante para o sucesso da dieta vegetariana é a variedade. A lentilha é uma excelente fonte de proteína? Sim, com certeza, mas isso não significa que devas consumir três vezes ao dia, todos os dias da semana. O mesmo vale para os demais alimentos de origem vegetal, pois cada um deles fornece uma determinada variedade de nutrientes, e para que o teu corpo tenha à disposição todos aqueles de que necessita, deverás abastecê-lo com alimentos variados;

5 - De nada adianta eliminares o consumo de carne para cuidar da tua saúde mas exagerar no consumo de fritos, alimentos congelados, refrigerantes, bolos e adoçantes. Se o teu objetivo for cuidar da saúde e manter a boa forma, limita ao máximo o consumo de alimentos industrializados e dá prioridade aos alimentos na sua forma natural.


E agora?

Se gostaste, partilha o artigo, visita o meu instagram (profcirilo) ou vem visitar-me pessoalmente à minha escola para fazermos uma sessão de life coaching para Viveres Em Alta Performance.

Todos estes conceitos fazem parte de mais de 18 anos do meu lifestyle baseado nos conceitos e nas técnicas do DeROSE Method.

Toca a aplicar estes conceitos para fazer acontecer!

A alta performance é como uma semente. Quando a cultivas, ela desperta.

Algumas palmeiras crescem em três anos, outras em dez. Aquelas que não são nutridas, nunca crescem!

Um forte abraço,

 prof. cirilo DEROSE LIFE COACH

prof. cirilo
DEROSE LIFE COACH

Ah, e não te esqueças

Agora é a melhor hora para começares a Viver Em Alta Performance. Aplica o que acabaste de ler e transforma a tua vida positivamente. É altura de passares para o próximo nível. Acredita em ti, não aceites desculpas e faz acontecer.

Complementa a leitura com estas recomendações:

- As 6 melhores atitudes para lidares com o stress

- Como combater as emoções negativas

Fontes de referência